terça-feira, 8 de maio de 2012

ODD e os GIGANTES DE GELOS:

Olá faz muito tempo que não apareço por aqui...Vou falar de um dos Livros que comprei no 3º Salão do Livro de Guarulhos.
Enfim..vamos falar dos bons?

ODD e os GIGANTES DE GELOS:
Pela capa, vocês perceberam que é um conto infantil...mas  por ser um conto Nórdico...poh amei.

Sinopse - Odd e os Gigantes de Gelo - Neil Gaiman, Brett Helquist
Tudo se passa em um vilarejo da antiga Noruega. Com um nome nada comum – ao menos nos dias de hoje – o menino Odd carregava “uma perna boa, uma perna bem ruim e uma bengala de madeira”. Odd perdeu o pai após uma incursão marítima, enquanto cuidava dos valiosos pôneis. Poucas semanas depois, ele próprio sofreu um acidente ao tentar pôr em prática as mesmas habilidades que eram exercidas por seu pai. Naquela época, a palavra Odd significava a ponta de uma lâmina e era um nome que trazia sorte. Cabe dizer que o significado que recebe atualmente – uma palavra inglesa que define “esquisito” – se encaixa melhor à visão que as pessoas tinham do menino: estranho, e de má sorte. O estranhamento natural que as pessoas tinham sobre ele e a forma inesperada como lidava com a morte do pai incomodavam os habitantes do vilarejo: “Ele sorria até mesmo após o acidente que aleijara sua perna direita.” Enquanto isso, um inverso rigoroso se aproximava, aflorando um mal humor nas pessoas. Para fugir do clima hostil que o rodeava, Odd decidiu se embrenhar na floresta, chegando à cabana de lenhador construída por seu pai. “Ele podia imaginar que aquele pequeno ambiente tinha o cheiro de seu pai, e (ali) ninguém batia nele ou o chamava de aleijado ou de idiota.” Enquanto se refugiava, o menino se deparou com uma raposa, que arranhava as paredes da cabana e o espreitava do lado de fora, com uma expressão calculista e astuta. A raposa parecia ter um plano e dava sinais de que queria que Odd a acompanhasse. Sem desdenhar de uma oportunidade única como essa – afinal, não era sempre que recebia convites de uma raposa – o menino a seguiu determinado. Para sua surpresa, no meio do caminho, encontraria ainda uma águia e um urso. Eram três criaturas com a mais curiosa das histórias para contar, e uma missão muito perigosa para um menino com o estado limitado em que ele se encontrava. Era uma jornada incrível a fim de derrotar os Gigantes do Gelo para trazer a paz de volta à cidade dos deuses – Asgard – e, finalmente, dar um fim ao terrível inverno que cobria aquele pequeno vilarejo na Noruega. Para a missão, era necessário um tipo muito especial de menino. Um menino alegre, e irritante, e esperto... Um menino exatamente como Odd.

Muito gostosinho de ler.



Um comentário:

  1. Ótimas indicações, vou ver se consigo encontra-los por aqui.

    ResponderExcluir